\\ Pesquise no Blog

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Ensaio #6

Rio de Janeiro – 14/04/2010 – 13h às 17h.
Diogo, Carolline, Flávia, Adassa e Fabíola.

Performance. A idéia era propor uma espera real, mas que elas soubesse que acabaria. Eu desci na Lapa e fui andando ao encontro de cada atriz, elas estavam dispersas em pontos específicos do bairro de Botafogo. No ensaio #5, perguntei a cada uma algum lugar em botafogo que já estivessem ficado um bom tempo esperando. Tais lugares foram selecionados (cinema estação, policlínica, pinel, ponto de ônibus do rio sul). Ao chegar na Lapa, pedi a uma transeunte que após ouvir os nomes das atrizes, colocasse-os numa ordem qualquer. Eis que ela disse: Carolline, Adassa, Fabíola e Flávia. Fui então buscá-las, uma a uma.

Angustiante, terrível. Não gostei da bobeira que propûs. Caminhava mais rápido do que podia, estava cansado, não havia pensado que caminhar da Lapa a Botafogo pudesse ser tão cansativo. Não corri, mas não consegui obedecer a sequer um sinal de trânsito. Furei todos eles. Estava com sono, fui ouvindo música da Lapa até elas. Comprei rosas, café. Estava culpado. Na verdade, era angustiante pensar que elas pudessem estar lá, esperando. E estavam.

Carolline foi a primeira. Adassa em seguida. Depois Fabíola. E por último, Flávia. Guardemos nossos segredos. Em breve um vídeo colocará neste espaço um pouco do que foi experienciado. Mas não há interesse em dissipar. Quero que fique em cada uma a sensação, o misto muito específico de se reconhecer viva e em experiência. Nada deve querer sugar isso que persiste agora em cada uma. Façamos da arte também nosso segredo. Nossa maneira outra de lidar o mundo: aquela pela qual ele é possível. E plenamente impossível.

caroll.ada.flávia.fabíola.

No que tudo isso nos acrescenta? Importa dizer? Acredito que em última e primeira instância, fica o jogo. Fica a relação. Fica um corpo construído. Um corpo uno e coletivo. Lá na frente quando a cena estiver dada, creio eu, será possível olhar para trás e reconhecer nestas bobeiras o espaço no qual o encontro aconteceu.

Nenhum comentário: