\\ Pesquise no Blog

segunda-feira, 1 de março de 2010

A N A G R A M A

       
do grego, ana quer dizer "voltar" ou "repetir", enquanto graphein diz "escrever". seria um jogo de letras por meio de ordenações diversas das mesmas (letras de uma palavra ou mesmo frase), resultando em outra configuração que, no entanto, é composta pelas mesmas partes.

humm. quem falou isso de anagrama foi gerald thomas. ele me escreveu: -----Godot eh um anagrama. Anagramas nao chegam nunca. [...]


Godot eh uma palavra imaginaria
que Beckett tirou de [...] opera inclompleta
que termina : "oh palavra, oh palavra que me falta". 
ok. ao esforço da metalinguagem.


a encenação também é escrita. escrita cênica que é dada por meio de imagens (que aglutinam palavras, movimentos, sons...). uma encenação tomada por anagrama sugere que a ordem da narrativa - dos acontecimentos postos em cena - se alterne. ou seja: podemos dizer que o texto segue na sua ordem natural (proposta por Beckett), mas a cena, a cena é uma constante tentativa de dar imagem - palavra - ao texto. o texto cênico indo e voltando pendendo e tentando manter, alcançar algum sentido. alguma explicação, alguma - melhor - configuração que nos pareça mais interessante. mais ética. ou não, apenas mais estética. viajando...

(as engrenagens da encenação podem também se configurarem como anagrama? cenário? figurinos? iluminação? trilha? elas induzem um espetáculo inicialmente desconexo, mas vão atingindo cumplicidade?)

nosso destino é não chegar. nosso destino será o de um erro. mostrar as tentativas como o mais importante. mostrar o caminho. a chegada não importa, vamos persistir nos erros, na busca, na busca. oh, palavra, oh palavra que me falta, para nos quer dizer, oh, imagem, oh imagem que nos falta. estamos cheios de palavra. estamos cheios de imagens? estamos cheios de vazio? estamos cheios? estamos?
"VOCÊ VAI FAZER UM ESPETÁCULO SOBRE O ERRO". disse-me Júlia Marini, nossa figurinista.
    
PERSISTIR.
       

Nenhum comentário: