\\ Pesquise no Blog

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Falo..


Conversando com outro amigo no MSN, ele falou algo sobre a minha obsessão por mulheres. Afinal, são quatro atrizes. De imediato eu lhe disse: são quatro mulheres esperando O Godot, está certo? Elas não são nada sem ele. E ele, por sua vez, é apenas o nada sem elas.

////

é tarde pra desistir,
é tarde para conseguir dar conta.
mas eu vou desistir ainda várias vezes
e vou voltar no segundo imediato a toda e qualquer desistência.
tomei ódio dessa desesperança
desse niilismo
ódio profundo desse excesso de pessimismo
dessa forçação de barra.
sim, quero me divertir.
não foi o acaso que me fez pensar em metalinguagem.
foi beckett. ele me disse isso por meio de seus personagens.
ele previu em sua própria peça que de tanto ser montada
um dia vladimir olharia para estragon
e gostaria de dizer
"nós deveríamos ter nos matado".
eu também acho.
mas eu venho ao seu encontro.
e o encontro é tudo.
eu venho querendo trazer godot (não importa ainda sua identidade. se ele é deus, melhor ainda, não costumam dizer que deus é onipresente. ou seja, ele pode ser tudo e nada, ao mesmo tempo).
eu venho trazendo godot
para que quando vocês cogitarem a ida
não tenham mais o argumento
não podemos!
por que?
estamos esperando godot.
pode sim, gente
deve poder.
vai ter que poder.
com excesso de verbos a gente chega lá.
para ajudar eu mesmo farei a tradução
eu mesmo farei a adaptação
como beckett morreu
não vai ter jeito
alguém vai ter que mexer
e claro
vocês, atrizes, beckett vão reescrever.
não é curioso?
vem aí a autoria do aleatório.
estou me preparando para o embate com os professores.
com a banca.
eles são ótimos
eles precisam destruir tudo isso é agora
por isso
obsessão
o que é mais ambicioso
é o meu querer que Godot chegue
quero que ele chegue
personificá-lo (nem que seja numa lata de leite condensado)
e isso vai me fuder
não por ser diabético
mas porque de cara essa escolha me sugere mexer no texto
alterá-lo
e não é bem isso que tenho pensado
como a faculdade impõe está dificuldade
vamos acreditar no anacronismo
e jogar seu jogo.
eu não mudo o texto do beckett
eu uso ele do meu jeito
eu coloco na boca de quem que eu quero
dou a cor
o ritmo
a função ou o tom
que - eu - nós - quiser - mos
eu estou estudando a possibilidade de usar o texto do beckett, como ele é
com cortes, claro
quero usar o texto original e propor uma encenação outra
seria como imaginar vladimir e estragon falando de fome enquanto comem um puta banquete
e não banquete de cenouras ou coisas do gênero
mas banquete de coisas que nós hoje gostamos
a espera é a das atrizes
o texto, porém, é o do fulano
é que eu acho o texto chato
li fim de jogo, fim de partida
e achei ainda pior
tem coisas ótimas
como em godot
mas é esse corpo clownesco
esse corpo distante
que teatraliza demais a sobriedade
a crueza
a possibilidade de tirar do des, o ser
é pensar no cartaz
quatro mulheres em posição de abraço para o fotógrafo
quem sabe até uma reprodução de las meninas!
ou seja, você olha para o cartaz e vê quatro mulheres meio histéricas, desesperadas
olhando para você
com os braços abertos
e escrito embaixo
ESPERANDO GODOT
e em cima
escrito
QUEM ESPERA SEMPRE ALCANÇA
mas é preciso sentir que eu tenho o mínimo de condição para isso
eu estou lendo tudo, menos teatro
filosofia, psicanálise, sociologia, semiótica
tudo pra dar uma encorpada na minha proposta
e descobrir a necessidade deste GODOT hoje
mostrar que é necessário atualizar o texto
e que a minha idéia não é somente uma piração
é uma piração complexa
de forma que, como dizia meu avô,
de forma que a melhor forma que eu encontrei para usar aquele texto
do jeito que ele é
foi descobrir este cansaço meu, de diretor, em relação ao texto
só que nos personagens
quando digo cansaço
falo do cansaço de esperar godot, de não ver mais espaço aqui para aceitar essa espera
aí, fui tentar encontrar isso nos personagens
e eles tem mil falas
que manifestam esse cansaço, essa possibilidade
a mais marcante
porque traz Camus e seu mito de sísifo juntos
é quando didi ou gogo dizem
que deveriam ter morrido quando ainda era tempo.
ou seja
estou falando
de metalinguagem, de metateatro
OS PERSONAGENS CLAMAM PELO SEU FIM E A GENTE FAZ O QUÊ?
A GENTE REPETE E REPETE SEM ESCUTAR O QUE ELES ESTÃO DIZENDO.
vou tentar colocar em cena
a busca, espera, desesperada
de quatro atrizes
por uma encenação
o texto do beckett
numa situação outra
onde as atrizes são os vagabundos (eu odeio isso de vagabundo!)
vivem seus dilemas
a espera delas é outra
mas é humana
ainda é espera
enfim
(talvez a cena do original dirigido pelo beckett eu vá reproduzir, mas não no início, e sim no final. é a busca delas que deu naquilo; no mesmo. é um olhar pessimista em relação ao fazer teatral. mas é sincero).
EU SILOGISMO
Esperar Godot é Esperar o Encontro
Teatro é Encontro (GROTOWSKI)

logo
Esperar Godot é Esperar o Teatro = ato do encontro
[...]

Colocações escritas após conversa com o amigo Felipe Barenco, via MSN.

    

Um comentário:

estela rosa disse...

Diogo querido, taí o texto que te falei ontem, do profanações.

http://rosaestela.wordpress.com/2009/09/03/os-seis-minutos-mais-belos-da-historia-do-cinema/

Adorei o encontro casual ontem! :)

Beijos!

Estela.