\\ Pesquise no Blog

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Por que ESTAMOS ENTERRANDO GODOT?


Sinceramente, porque ele nao veio. Eu sinto que eh por causa disso. Eu acredito no encontro. Sei da espera, mas meu pelos se erguem por conta do meu encontro contigo. Creio estarmos enterrando Godot porque ele nao nos faz mais sentido. Godot diz respeito ao que eu nao vivi. Talvez ele diga respeito ao que nao quero mais sofrer. Mas nao entendam enterrar como se isso fosse o mesmo que esquecer. Enterrar eh gesto simbolico de dar ao proprio chao que se pisa substancia para o seguir. Enterramos Godot para talvez nos estimular a vontade de sempre e novamente o buscar e atingir. Enterramos Godot para dizer que ele nao importa, e nisso invertemos os sentidos. Ele importa. Sempre importou. Mas precisamos nega-lo para em nossos corpos descobrirmos tudo isso ja dito.

Por que enterramos? Porque matar e amar sao palavras que se confudem quando postas em risco. Enterramos porque nesta acao descobrimos os erros do mundo. Erramos e talvez repetimos o assassinio para que ele fique em nos feito tatuagem.

Quero dizer: matamos para redescobrimos algum sentido. Para redefinirmos a nossa maneira de olhar tudo isso. As palavras se perdem. Godot morreu. E isso talvez nos torne seres improficuos. Estamos ficcionalizando a perda para refletirmos se eh preciso perder para conquistar o amago. A essencia. A porra do sentido.

Caminho inverso. Jogo invertido. De fato se trata de uma poetica negativa. Para que se monte o nao possivel. Para que se revele o invisivel. Para que o espetaculo revele ter ou nao intimo. Eh fim sem fim. Comeco sem inicio. Eh a prova clara e irrevogavel de que a mistura e a diferenca estao aqui como esta o tempo o espaco e todo o resto.

Poderia dizer que estamos fazendo o que estamos fazendo porque, de fato, tentamos encenar Godot. E se hoje o enterramos eh so porque foi o que nos foi possivel. Enterramos com amor o nosso Godot impassivel porque encena-lo foi mais que o impossivel. Dessa tentativa nasceu uma estrela agitada de codinome Miranda. Te tentamos muito, caro Godot, mas talvez a impotencia de decadas pos-guerra tenham lhe tirado o tesao dessas meninaa com seios de fora. Elas nao sao prostitutas elas sao santas. E como todo santo, essas atrizes sao pau pra toda obra. De todas as formas. Para todos os sentidos. Para as palavras nao inventadas e sentidos inda nao sentidos.

Se voce me perguntar por que estamos enterrando Godot eu vou te dizer: estamos fazendo isso para que voce nao deixe mais de selar seu encontro com seu abismo.

Guarda essa informacao.
\\

2 comentários:

Adassa Martins disse...

hoje escolhemos ter a kinesfera imensa entre no's, as nossas ideias, as nossas presenças. todos no's.

Cantidio disse...

é preciso ter asas grandes né?